Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Devaneios de uma morena

Um blog sobre tudo e mais alguma coisa. Um companheiro para todos os dias, a qualquer hora que seja.

Querido pastel de nata...

Pastéis de nata. Para mim acabam por ser pequenos prazeres da vida. Tenho-os em conta como verdadeiros marcadores de muito bons momentos, de momentos que não esqueço. Servem para alegrar uma manhã chata, para adoçar uma conversa boa e para matar a gula. Isso: a gula.

 

São companheiros para as mais diversas ocasiões. São bons «agora» ou «para levar» e comer mais tarde.

 

Então os da Manteigaria… são de comer e chorar por mais. E comer outro. E comer e chorar por ainda mais. E ter vontade de comer mais um. Depois há os malucos que vão ao terceiro. Confesso que não deixo de os entender, mas o meu estômago talvez não aguentasse (nem entendesse).

 

Esta é uma paragem obrigatória numa qualquer visita minha a Lisboa. E mesmo sem lá ir, tenho podido matar saudades das minhas queridas natas porque há alguém que todas as semanas me tem vindo a presentear com uma caixinha de duas. (Obrigada Bre!)

 

É um espaço pequenino, só com balcão, que recordo como um sítio minúsculo, a abarrotar, onde todos se atropelam para pedir uma nata. Onde às vezes a existência de uma fila que sai porta fora é, à partida, desmoralizante, mas depois vai-se a ver e aquilo anda num instante, e a nata está afinal bem mais perto do que parecia.

 

Dá gozo comê-la quentinha, estaladiça, com açúcar, com canela. Dá ainda mais gozo comer a segunda. Não sei como, mas parece que passa sempre a primeira. 

 

Aquelas natas, as da Manteigaria, são as melhores do mundo. São as minhas natas. As nossas natas (J). Sabem a «tenho de voltar», a «preciso mesmo de mais uma», aquecem a alma, adoçam o coração, deixam qualquer um mais feliz. Pelo menos em mim têm esse maravilhoso efeito.

 

Caso tenham oportunidade de experimentar estas companheiras para todas as horas, façam-no. Certamente não se arrependerão. Será uma pequenina experiência gastronómica verdadeiramente agradável que quererão, de certeza, repetir, e repetir, e tornar um hábito. 

 

E entretanto, passe o tempo que passar, eu vou continuar a morrer de amores por estes incríveis pedaços de mau caminho.

manteigueira1.jpg

 

 

Aproveitem para espreitar a página da Manteigaria no facebook: https://www.facebook.com/manteigariacamoes/timeline?ref=page_internal

 

Beijinhos,

R

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D